quarta-feira, 13 de maio de 2009

A Ponte do Céu



O meu ser não é daqui,
pois se neste reino tudo os meus olhos alcançam.
E o meu corpo solto esvai-se,
líquido na ânsia do espaço.

Vida ou morte, o meu desejo. Tanto faz
desde que a vastidão da terra me consuma.

Talvez lá, onde há um mundo para além das nuvens,
feito da mesma luz dos dias; do mesmo ar, do pó da terra.
Mas onde o horizonte eterno é maior
do que o calor das fogueiras.

Foi lá que te vi, quando dormia,
antes de por fim reconhecer
o teu rosto, o meu castelo.

5 comentários:

Leto of the Crows disse...

"Vida ou morte, o meu desejo. Tanto faz desde que a vastidão da terra me consuma."

Realmente, acaba por ser indiferente.

Abraços ^^

Morgana La Folle disse...

Gosto quando escreves poesia (é raro...)

Sempre senti isso: "não sou daqui" (estou a citar a mim mesma).

Também espero "o horizonte eterno maior do que o calor das fogueiras" (estou a citar-te, a ti).

É bom saber que olhamos e vemos, e muito melhor é termos a noção de que seja o que for que valha a pena tem de ser maior do que isso. Muito maior. Ou não caberia no nosso olhar, terreno - apesar de todo o desconforto.

Dark kiss.

HornedWolf disse...

Fico feliz que estejas de volta :)

bat_trash disse...

Esse reino é pura poesia!

Bem-vindo de volta!

Beijos.

Gotik Raal disse...

Leto of the Crows,

Escolheste bem a frase.
Quanto à indiferença já não sei.. talvez importância seja a palavra, para mim!

Um beijo,

+

Morgana,

É bom ler-te, como sempre, e com um certo pudor te digo que não me parecem estranhas estas afinidades, entre os reinos de Gore e a Katedraal: citando-te, "é termos a noção de que seja o que for que valha a pena tem de ser maior do que isso. Muito maior. Ou não caberia no nosso olhar, terreno".
Eu tenho desejo deste espaço maior, no corpo e no espírito. E poder vivê-lo nem que apenas pela escrita é em si já uma benção.

Um beijo.

+

Obrigado, HornedWolf.

Um abraço e tenho de partir de novo para descobrir as tuas terras!

+

Obrigado também, Bat Trash.

É bom estar de regresso!

Beijos,

Gotik Raal