sexta-feira, 22 de maio de 2009

A Fonte



Ser o fosso
e ser a ponte.
Ser o castelo na ilha,
e ser o poço
sendo a fonte.

Ser o ser e o não ser.
Ser mais do que todo o querer,
não querendo mais
do que o tempo de dizer
Eu.
Essa palavra maior,
desde que infinitamente menor
que aquela outra que a acolhe;
Om. O som do sopro de
DEus.


(Em resposta aos comentários de Leto of the Crows e Vitor Mácula)

Pintura de Jan van Eyck

6 comentários:

Leto of the Crows disse...

Eu é realmente uma palavra muito grande, imensa. Mas penso que não seja assim tão menor quanto a palavra Deus, pois cada um é deus de si.

Abraços!

Gotik Raal disse...

Leto,
Quando escrevi "DEus" não foi por acaso.

Mas se, como dizes "cada um é deus de si", então nada mais é do que em si mesmo; o que, na minha firme crença pessoal, tornaria desnecessários ambos os princípios. E contudo eles existem, e nada vive apenas no léxico...

Abraço! do
Gotik Raal

Vítor Mácula disse...

“eu” é uma palavra infinitamente relacional ;) abraços

Gotik Raal disse...

Vítor,

Tenho admiração pelo saber dizer muito com o mínimo; como o teu "infinitamente relacional".
Quando respondi à Leto, aqui em cima, mais do que contradizer queria antes sublinhar essa dimensão mais vasta de "Eu". Assim parece-me perfeito, temos negócio :)

Abraço,
Gotik

Morgana La Folle disse...

"...e ser o poço sendo a fonte."

Isto podia ter sido escrito, ou dito, por mim :)

O meu coração é o poço e a fonte.

Dark kiss.

Gotik Raal disse...

Olá Morgana,
Podia, sim. E como já te disse em tempos há um pilar da Katedraal que nasce das tuas Terras de Gore :)

Um beijo,
Gotik Raal