terça-feira, 19 de janeiro de 2010

As Flores



A pele como uma pálpebra.
Acordei. Uma estrumeira. Tudo eram detritos inertes no meu círculo próximo; e assim o eram os restos dos dois lagartos que cegos de morte velavam o meu sono.
Tentei lembrar o verde, mas tal como o azul dos céus também este se fora.
Aspirei o vento, sem nada encontrar dos meus caminhos. E pela primeira vez na vida olhei para trás, numa réstia de desejo de te ver. Estarias no cimo da torre mais alta da catedral; se estivesses. Se os meus olhos tudo isso pudessem alcançar.

De nada me importa a lama, os os rios fumegantes de dejectos, conquanto se dirijam a algum lado.
Tanto nos queixámos e contudo não há como esta paz em que todas as riquezas e misérias não cabem nas palavras.
Mas deixa-me dizer-te que mesmo uma fossa é plena da vida que no ouro nunca vinga.
Morre por isso em paz - eu serei no teu lugar. Mesmo que me arranquem os braços e o coração jamais serei outro qualquer, ou nada.
Sempre eu e tu, ainda que não te veja mais.

As flores nascem em toda a parte, em qualquer sítio. Desde que seja delas o tempo.

6 comentários:

Vítor Mácula disse...

perder-te-me é abismar-me-te

na própria treva
o excesso de luz

e certo silêncio
que é grito e espanto

espera obtida
o lume é denso
o gume é lento
real a vida

até sempre


abraço, Gotik
bom ano

thepoisonousi@thehospital.com disse...

Gosto muito do teu blog, Gotik Raal. Encontro na tua e na minha escrita muitas afinidades.

Dark Ugh!

Ruela disse...

Visceral!




Abraço.

Gotik Raal disse...

Amigos, perdoem-me os lapsos de tempo.

Vítor,

Estas tuas respostas acabam sempre por me surpreender, por muito que delas sempre espero.
Tenho a estranha sensação de que percebes do que falo. Mesmo quando eu próprio não o sei em plena consciência, a coisa ilumina-se nas tuas palavras.

Outro abraço e um feliz mil quatrocentos e dez,

+
+ +
+
+

Olá thepoisonousi@thehospital.com

Obrigado pela visita! e lá te visitarei para ver se és assim mesmo como dizes.

Abraços ou beijos conforme o género,

+
++
+
+

Ruela, Sir

Pois, mas nada que se compare ao teu nevoeiro.

"In silence, we shadowplay under strange atmosphere. Don't walk away."

Gotik Raal

Vítor Mácula disse...

penso que, de certo modo, as palavras têm mais sabedoria do que nós que as proferimos.

é natural: estão cá há tanto mais tempo ;)

witch disse...

As flores que nascem, orgulhosamente, do ventre das pedras...


Kisss...